Ao sabor do vento

24/04/2017 por Revista dos Vegetarianos

0
sabor-vento-veg126

Você entra no balão assim que vem ao mundo


Por: Marco Clivati –

Nunca sabe quando e onde vai pousar. Seu destino, por mais que tente alguma manobra, é ao sabor do vento.

Nesta viagem, guiado pelo sopro das correntes de ar, há dias de céu limpo com uma leve brisa. O passeio é leve, calmo e tranquilo. Mas há dias em que o céu se fecha, o vento sopra ferozmente. Dentro do balão, tensão, ansiedade e medo. Seja em dias de ventos amenos, seja em dias de tormenta, é preciso coragem e paciência para encarar o que surge à frente.

Mesmo sendo impossível dominar o vento ou prever suas mudanças, você pode alterar a altitude do balão e encontrar correntes mais amenas. E, por mais limitado que seja esse controle, quanto mais você conhece o balão e quanto mais alerta está em relação às condições do vento ao seu redor, maiores são suas chances de direcionar seu caminho, de ditar seu próprio destino. O baloeiro experiente pode até passar por apuros, mas ele tem confiança e sabe por onde seguir.

A vida é como uma viagem de balão. Você nunca sabe quando e onde vai pousar. Para que a viagem seja leve, calma, repleta de bem-aventurança, você precisa manter seu balão cheio de gás e estar consciente e confiante. Nesta viagem, a grande aventura é o próprio passeio de se viver.

Esse texto foi retirado da Revista dos Vegetarianos, seção Editorial, edição 126.


Site integrante do portal Europanet | Copyright © 2017 Editora Europa Ltda. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site